09/02/2018 10:46:57 - Atualizado  em 09/02/2018 10:51:01

A+ A-

Excesso de álcool no Carnaval pode afetar a saúde

  Reprodução

Como no Carnaval é comum o consumo mais elevado de bebidas alcoólicas é bom estar preparado para se recuperar

Carnaval é sinônimo de alegria, festa e muito samba no pé. Há que se aproveitar o período mais aguardado do ano para quem não abre mão da agitação, músicas descontraídas e muita paquera.

Mas, é preciso evitar os excessos durante a folia, pois a falta de limites, seja na ingestão de bebidas alcoólicas, drogas, alimentos gordurosos e sexo sem proteção, podem trazer sérios problemas ao folião. 

Samba, suor e cerveja, parecem os três mandamentos da festa popular mais tradicional do país. Os mais velhos aproveitam para descansar da correria do dia-a-dia. Já as crianças e os jovens saem para cair na folia.

 Especialistas ouvidos pelo  Portal Ururau, orientam que tudo em excesso faz mal à saúde. É preciso ficar atento, principalmente ao uso exagerado de bebidas alcoólicas, drogas, alimentos sem fiscalização da Vigilância Sanitária, entre outras questões.

“O álcool, em grandes quantidades, pode trazer sérios problemas hepáticos e neurológicos. O indivíduo que vai pular Carnaval e acaba bebendo demais, ele tem que tomar cuidado, pois, em altas doses, o folião pode até entrar em coma etílico e até mesmo morrer”, alertam

SE FOR BEBER, HIDRATE-SE

Como no Carnaval é comum o consumo mais elevado de bebidas alcoólicas é bom estar preparado para se recuperar. O excesso de álcool traz sérias consequências para o organismo, porque a bebida desidrata, pois inibe o ADH, o hormônio antidiurético.

Ficar desidratado deixa o sangue mais denso, o que causa maior stress circulatório e os rins também são forçados a trabalhar mais.

“Quando for beber, tem que ingerir água e se alimentar corretamente. Nada de lanches rápidos, pois o risco de infecções é enorme, visto que, a maioria desses locais nem tem a vistoria da Vigilância Sanitária, principalmente os alimentos vendidos por ambulantes na beira da praia e nas ruas e avenidas”, recomendam.


Fonte Ururau