05/10/2017 10:50:58 - Atualizado  em 05/10/2017 10:56:55

A+ A-

RJ: Servidores com salário de até R$ 3,3 mil recebem nesta sexta

  Divulgação

Pagamento nesta sexta-feira

O governo do Rio depositará nesta sexta-feira (06/10) os salários integrais de agosto para 32.838 servidores ativos, inativos e pensionistas, de todas as categorias, que recebem vencimento líquido de até R$ 3.322,72. Também serão quitados integralmente os vencimentos de agosto para os servidores ativos da Secretaria de Cultura, incluindo os servidores da Funarj, Theatro Municipal e Fundação Museu da Imagem e do Som. Todos os pagamentos realizados somam R$ 100 milhões.

Com esses depósitos, o Estado terá quitado os salários de agosto para 91,7% do funcionalismo público. Os vencimentos de agosto ficarão pendentes para 38.607 servidores ativos, inativos e pensionistas, em um total de R$ 271,2 milhões. O valor líquido da folha do Executivo é de R$ 1,6 bilhão. Com o pagamento, a folha de agosto estará concluída para 425.341 servidores ativos, inativos e pensionistas.

Os salários serão depositados ao longo do dia mesmo após o fim do expediente bancário. De acordo com o resultado da arrecadação, a secretaria estadual de Fazenda anunciará, posteriormente, quando se dará novo depósito para os servidores que ainda não terão recebido os vencimentos até sexta-feira.

Na última quinta-feira (28/09), a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) aprovou o projeto de lei que muda regras do refinanciamento do Estado com a União. Os deputados da base do governador afirmaram que o projeto era o último entrave para a publicação do edital da privatização da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae), com a qual o Governo espera receber R$ 3,5 bilhões nos próximos dias.

A lei formaliza a adesão do estado ao Plano de Recuperação Fiscal, determinando o cumprimento do refinanciamento de acordo com leis complementares já publicadas, mas que o Estado não cumpria.

O PRF prevê a suspensão da dívida com a União em 3 anos e diminui os valores cobrados mensalmente, estendendo o pagamento até 2049.


Fonte G1