11/06/2017 18:50:31 - Atualizado em 11/06/2017 18:51:09


A+ A-

Será que custa tanto usar uma palavra que incentive o outro?

“Palavras generosas podem ser curtas e fáceis, mas seus ecos são verdadeiramente infinitos” assim proferiu Madre Teresa da Calcutá.

 Será que custa tanto usar uma palavra que incentive o outro?

Creio que todos buscam escutar algo doce e incentivador, no entanto, ainda é complicado proferir. OBRIGADA, COM LICENÇA, POR FAVOR, ATÉ BREVE, UM DIA ABENÇOADO, FICA UM POUCO, TE AMO, GRATA, e outras palavras nesta linha.

Acredito que o hábito das palavras e ações doces, criam uma oportunidade inegável para formar pessoas e relações e este mesmo ingrediente tem potência máxima para transformar situações.

Será que o fato de nos PREocuparmos com as situações aparentemente insolúveis, vai nos trazer a solução ou devemos olhar para o que está acontecendo como uma oportunidade de aprimorar um lado que nos percebemos que vale a pena investir e transformar para melhor? Como diz o autor de pai rico, pai pobre, Robert T. Kiyosaki, “transformar os limões em milhões”.

Sei que é importante estabelecer caminhos que o grupo deve seguir, isso implica em determinadas situações ser impopular e impor regras, principalmente em se tratando da educação de filhos, disciplina é importante e garantia de futuro mais tranquilo, no entanto, a sabedoria no ato esta em manter a serenidade. mesmo no momento de mudança de rota, já que buscamos deixar ecos infinitos.

Estamos enfrentando um momento de profunda ameaça a hierarquia familiar, já que os especialistas dizem que há “um fascínio das famílias por soluções fáceis”, precisamos nos unir e buscar alternativas para as exigências do mercado e a sobrevivência da saúde familiar e a receita maior que minha mãe, Valdira mina, me deixou é: “TUDO PASSA MENOS O NOSSO AMOR”,então use palavras generosas, seja gentil e nunca esqueça para onde vai, pois quem não sabe para onde vai ninguém acompanha.

Muitos estão no meio corporativo e desconhecem todos os que estão a volta. Não sabem nome; não cumprimentam ou tem consideração com a necessidade do outro. E NESSA HORA AFIRMO SEM PENA: EDUCAÇÃO COMEÇA EM CASA. O gestor indelicado hoje foi um filho que não recebeu a devida orientação ou pior foi alguém que não deu a devida a atenção ao que sua mãe pregava diariamente.