10/10/2017 09:13:07 - Atualizado em 10/10/2017 09:16:50


A+ A-

Seu filho não come nada?

  Reprodução

O processo de mudança requer motivação.

Atualmente, estamos sempre ouvindo notícias boas sobre uma alimentação saudável na prevenção ou até mesmo na cura de diversas doenças.  Mesmo com tantas notícias positivas, o que mais nos deparamos são com pais desesperados porque não conseguem fazer seus filhos comerem nenhum alimento saudável. Sempre fazem carinhas de nojo na hora da refeição ou simplesmente dizem que não gostam, mesmo diante de uma preparação tão bonita e colorida que mãe acabou de fazer. 

As mães certamente ficam imaginando que seus filhos não são nutridos, não ganham peso necessário e que sempre está vulnerável a adoecer. Mas a final de contas por que é tão difícil fazer as crianças gostarem de alimentos saudáveis?  Essa resistência que as crianças têm é conhecida como neofobiaé uma etapa que faz parte do desenvolvimento alimentar infantil, podendo ocorrer entre 2 a 5 anos. Nessa fase é comum também rejeitar alimentos que antes eram aceitos.

Na verdade sempre que uma criança rejeita a alimentação ela está querendo nos dizer algo, porém muitas vezes nós não conseguimos compreender o que elas querem dizer. O importante é manter a calma, porque o desafio começa e sobra sempre para as mães. Prepara-se! Não desista na primeira tentativa. 

A mãe deve investigar se seu filho tem algum problema, como dor, desconforto ou incômodo durante e pós-alimentação. Isso impede que a criança sinta desinteresse pelos alimentos. Uma das maiores causas de recusa são problemas gastrointestinais, problemas sensoriais e orais. Caso ele apresente alguns desses, será necessário mudar isso, porém o desejo pelo alimento é pessoal e interno, não imposto por outra pessoa.

O processo de mudança requer motivação. Estimule o interesse de seu filho por alimentos, não imponha que precisa comer verduras porque têm vitaminas. Seja criativa e use uma linguagem acessível à dele! Participe de atividades sociais que envolva alimentação com outras crianças em locais diferentes, evite punições, pressões ou castigos com intuito que coma aquilo que você julga bom para ele, pois isso não funciona. Quanto mais você pressiona, menos ele irá comer.

Então, mãe, siga alguns princípios básicos de uma alimentação saudável; continue dando alimentos mesmo quando eles já foram rejeitados, não restrinja cardápio ofertando o que ele já aceita, continue ofertando alimentos novos mudando as apresentações dos pratos com criatividades em formatos de rodelas, cubinhos, palitos, purês, assado, crus ou em combinações com arroz.

Crie experiências diretas com os alimentos, faça refeições em família, evite distrações à mesa com aparelhos eletrônicos e brinquedos, pois tira o foco da criança no momento da refeição. Coloque as travessas a mesa com todos os alimentos para que a criança os visualize. Envolva seu filho nas preparações, faça uma receita com ele; deixe-o tocar nos alimentos antes de serem preparados, peça-o para arrumar a mesa para iniciar a refeição.

Propicie brincadeiras com imagem de alimentos fora do horário das refeições, identifique o que traz conforto para criança na hora de comer e o que mais o incomoda, dê atenção a textura e temperatura dos alimentos que ele mais se interessa, faça perguntas dos quais ele identifique as cores e o cheiro, realize expressões positivas com beijos e carinhos durante alimentação.