12/12/2017 09:49:59 - Atualizado em 12/12/2017 09:52:15


A+ A-

Você já sofreu de hipocloridria?

  Reprodução

A hipocloridria tem tratamento e merece muita atenção!

Hipocloridria é um distúrbio que tem sido algo de muita confusão na mente de muitas pessoas que sofrem com problemas gástricos. É o distúrbio que acomete o órgão do estômago em quantidades insuficientes de produção de ácido clorídrico (ácido responsável pelo funcionamento do estômago).

O estômago é responsável pela mistura dos alimentos que previamente já foram mastigados em sua forma semilíquida (quimo) separando as partículas de nutrientes para sua absorção ao término da digestão através do suco gástrico, hormônios e ácido clorídrico.

Um estômago desequilibrado é muitas vezes reflexo de mastigação insuficiente ou de ingestão de aditivos alimentares que estão embutidos em comidas ditas como alimentos, que na verdade, são produtos de prateleiras dos quais não contém nutrientes. Essa carga de aditivos destrói toda produção das secreções do estômago causando uma baixa motilidade do órgão.

Isso quando este desequilíbrio não está associado a uso de medicamentos inibidores de ácidos estomacais, os famosos familiares “prazois”, que muitas vezes prescritos como protetores ou para tratamento de gastrite com objetivo de reduzir queimações deixando o estômago sem sua total função. Um órgão sem função resulta em organismo doente.

Para classificar a hipocloridria podemos observar alguns sinais clínicos pelo individuo que sofre desse mal, como queixa de “eructação” arrotos liberados pelo individuo espontaneamente na tentativa de reduzir o desconforto abdominal, como há ausência de ácido a digestão fica lenta seguida de azia ou queimação devido aos arrotos espontâneos, a tendência a refluxo do alimento contido no estômago para esôfago leva a um estado de azia, mesmo sem boa quantidade de ácido esse refluxo se repete por várias vezes ao longo do dia causando falsa impressão de excesso de ácido clorídrico.

Todo alimento que já teve seu contato com estômago e volta a ter contato com a parede do esôfago remete um alimento com conteúdo ácido, mesmo em proporções pequenas desse ácido.

Outro sinal a ser observado é a dor epigástrica após alimentação, pouco ácido e digestão lenta gera a dor devido à diminuição do muco protetor do estômago e hipocloridria. Como último sinal típico é como o indivíduo se sente após consumir refeição com volume de proteína ou simples churrasco. 

A resposta sempre vai ser de desconforto e um total peso no estômago, tudo isso por ausência ou diminuição de um dos maestros responsáveis pela nossa digestão (ácido clorídrico) o qual tem sido muito banalizado como o vilão das desordens gástricas.

A hipocloridria tem tratamento e merece muita atenção!  A nutrição tem seu papel espetacular nessa desordem com alimentos específicos para ser usado durante a reposição desse ácido e orientações para evitar certos alimentos que atrapalham a terapia, além de contar com suplementação de vitaminas que são cofator para formação endógena desse ácido clorídrico.