03/01/2018 10:36:08 - Atualizado em 03/01/2018 10:38:01


A+ A-

Mergulhar na vida nova

 

O tempo do Natal culmina no Batismo de Jesus, um dos três acontecimentos epifânicos, pois O revela e apresenta como o Filho de Deus. É uma consequência da Encarnação, o mergulho do divino na realidade humana, pois, como afirmava São Leão Magno, Deus se torna um de nós para que nós nos tornemos divinos.

Jesus assume plenamente nossa humanidade, igual a todos, menos no pecado, mas solidarizando-se conosco, carregando nossos pecados. Vai à procura de João Batista e se deixa batizar por ele no Jordão. Os céus se abrem e sobre as águas do rio ouve-se uma voz: Tu és o meu Filho amado; em Ti me comprazo.

O Espírito realiza a nova criação dos filhos de Deus em Jesus, o Filho enviado pelo Pai, para nos elevar a esta dignidade imerecida e totalmente gratuita. Cumpre-se o Projeto do Pai, de restabelecer em Jesus Cristo a comunhão com a humanidade e a unidade da nossa família.

Por isso, celebramos no Natal também nosso Nascimento para a vida eterna como irmãos de Jesus e cordeiros com Ele. É pena que, por não termos um processo eficiente e dinâmico de iniciação à vida cristã, esta maravilhosa realidade da filiação divina e seus efeitos passe de longe, não sendo suficientemente vivenciada e testemunhada em nossas comunidades.

Parece que não acordamos para a realidade fática de não estarmos vivendo mais numa situação de cristandade, onde a cultura e os valores são unanimemente cristãos. Assim, segundo as estatísticas,

podemos ser 120.000.000 de cristãos católicos no Brasil, mas com uma influência medíocre na vida social e pública, sem conseguir dar sabor ou fermentar o Mundo que nos é confiado.

 Neste Ano Nacional do Laicato, é de suma importância, como foi no Concilio Vaticano II, soerguer o Laicato a partir da vivência plena do Batismo, onde os leigos cristãos encontram as raízes de sua identidade, e a nobreza da sua missão, como sujeitos e protagonistas na Igreja e na Sociedade.

O Povo de Deus, como comunidade de irmãos e fiéis batizados, tem como principal tarefa e propósito anunciar e construir o Reino nos do Eros ambientes e realidade, sendo Luz do Mundo e Sal da Terra, testemunham do com alegria e esperança nossa condição de seguidores e discípulos-missionários de Cristo. Deus seja louvado!

Dom Roberto Francisco Ferreria Paz

Bispo Diocesano de Campos (RJ)