19/06/2017 09:22:02 - Atualizado em 19/06/2017 09:22:31


A+ A-

Vidas Perdidas

Na coluna anterior trouxe um pouco do que penso sobre a importância do saneamento para melhoria das condições de saúde da população. Pois bem, hoje, abordarei um dos indicadores mais importantes na avaliação da situação em que vivem as pessoas nos municípios brasileiros, a taxa de mortalidade infantil. Esse índice é calculado tendo por base o número de óbitos de bebês, comparado ao número de nascidos vivos, sendo expresso em número de óbitos por mil nascidos vivos.

A taxa de mortalidade infantil está associada a diversos fatores. Assim, melhorias nas condições de saneamento, nas condições de moradia, de acesso a serviços de saúde, amamentação por período adequado, garantia de renda mínima capaz de assegurar subsistência, idade gestacional, redução do tabagismo etc. são capazes de reduzir a taxa, evitando a perda, tão precoce, de vidas humanas.

Os dados mais atuais disponibilizados pelo IBGE são de 2014, infelizmente, possuindo defasagem de alguns anos, ainda assim, é possível traçar algumas linhas de pensamento. Segundo esses dados, Campos dos Goytacazes é o 7º mais populoso município do Estado do Rio de Janeiro, possuindo também um dos maiores PIB per capita. Os avanços em saneamento e vacinação, dentre outros fatores, nos trouxeram uma redução acentuada da taxa de mortalidade infantil, alcançando o índice de 14,77 mortes por mil nascidos vivos. A notícia ruim é que, apesar da redução, em 1991 o índice era de 36,1 e em 2000 de 14,7 óbitos por mil nascidos vivos (Atlas do Desenvolvimento Humano 2013), o município, que está entre os maiores do estado em população e orçamento, tem apenas a 25ª posição quando o critério é a taxa de mortalidade infantil, se a comparação for nacional fica ainda mais feio pois vamos para a posição de número 2078. Ademais, observa-se que a partir do ano 2000, não mais se obtiveram reduções da taxa de mortalidade infantil, o que nos preocupa e deveria fazer pensar nas causas de termos parado de evoluir nesse importantíssimo indicador.

Políticas públicas de saúde precisam ser planejadas e reavaliadas constantemente, isso só é possível quando se utilizam critérios objetivos, mensuráveis e comparáveis em uma série histórica. Saúde pública deve ser levada a sério e envolve muito mais que atendimento hospitalar e fornecimento de remédios.


Mais...

  • 12/06/2017 »
  • 05/06/2017 »
  • 29/05/2017 »