10/10/2017 19:37:34 - Atualizado  em 10/10/2017 19:46:26

A+ A-

Crédito rural beneficia pequeno, médio e grande produtor

  Ururau

Para o pequeno produtor, valor máximo de crédito é de R$ 250 mil ano/safra

Todo produtor rural que pensa em investimento em longo prazo precisa de um crédito financeiro. Seja para recursos destinados a custeio, investimento ou comercialização, é essa linha de crédito que irá garantir principalmente ao pequeno produtor, cobrir despesas do ciclo produtivo, fazer investimentos ou recursos para apoiar o seu agronegócio. E é pensando nisso, que o Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil (Sicoob) Fluminense ampliou sua margem de crédito oferecendo a todas as modalidades (pessoa física e jurídica e também o produtor rural).

A assessora de crédito rural do Sicoob Fluminense, Maria Cecília Codeço, disse que o cooperado que chega a instituição financeira passa por uma avaliação, onde primeiro se classifica qual é o produtor (pequeno, médio ou grande) e depois qual o tipo de produção e o tamanho da propriedade para saber qual é a linha de crédito que o atende e, só depois, fazer o crédito rural.

“A gente tem as parcerias com as empresas de assistência técnica que são formados por agrônomos, engenheiros agrônomos e até técnico rural que vão orientar a esses produtores. Quanto ao valor do crédito, existe um limite máximo que o próprio governo [federal] define, por exemplo, para o pequeno produtor rural, o valor máximo que ele pode pegar é R$ 250 mil ano/safra”, comentou a assessora informando que o que vai definir quanto ele pode pegar é a capacidade de pagamento de cada produtor (faturamento da atividade que ele executa, tamanho de propriedade, e o que ele já tem investido). “E essa capacidade de pagamento vai ver o que ele tem hoje, o que está querendo aumentar ou melhorar em sua produção e isso vai dar condição a ele de pegar quanto”, complementou.

Há três anos operando com a linha de crédito rural, o Sicoob Fluminense oferece ao seu cooperado um investimento para financiar máquinas agrícolas, tratores, colheitadeiras, animais para cria e recria, implantação de sistemas de armazenagem e de irrigação, projetos de melhoria genética, adequação e correção de solo, recuperação de pastagens, ações de preservação ambiental, entre outras finalidades.

“Hoje, o Siccob Fluminense, com o produtor rural, tem mais ou menos 130 produtores, mas operando e apanhando crédito e empréstimos, nós temos 59 sendo que, em sua maioria, são pequenos produtores”, pontuou Maria Cecília.

Para ser um cooperado, é preciso comparecer a uma das agências do Sicoob portando documentos de identificação e também das respectivas propriedades. “Hoje em dia existe toda uma legislação ambiental então ele tem certificação de recursos hídricos, tem o Inea (Instituto Estadual do Ambiente), o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), o CAR (Cadastro Ambiental Rural). Essa parceria que a gente faz com essas empresas técnicas é que vai orientar o produtor quanto a essa documentação para que ele possa se adequar a exigências de certificação de documentação. Você só consegue o crédito rural se esses documentos estiverem todos em dia.

Na região, a cooperativa atua em Campos, mas também tem agências em São Francisco de Itabapoana; São João da Barra; Macaé; São Fidélis, no Norte Fluminense e em Bom Jesus do Itabapoana e Itaperuna, no Noroeste.

Reportagem: Ururau


Fonte