05/01/2018 19:09:43 - Atualizado  em 05/01/2018 19:45:00

A+ A-

Mesmo com dificuldades, tradição da Folia de Reis continua em Campos

  Ururau

Planície Goitacá conta apenas com um grupo de foliões que tem como sede o bairro Parque São José, em Guarus

Iniciada em Portugal na época da Idade Média, a Folia de Reis já teve seu grande momento em Campos, com inúmeros grupos formados em várias partes do município, principalmente na Baixada, que saíam às ruas levando a tradicional cultura lusa para conhecidos e desconhecidos da arte medieval. No entanto, hoje, a Planície Goitacá conta apenas com um grupo de foliões que tem como sede o bairro Parque São José, em Guarus.

Sem patrocínio por parte do poder público, o Grupo de Folia de Reis “Estrela Guia do Oriente”, que é tombada pelo patrimônio, sobrevive por conta própria e com a oferta dada por pessoas que prestigiam a arte, em dias de apresentações.

Atualmente com 17 integrantes, o grupo começou há 18 anos no Quilômetro 8, no distrito de Travessão, passou por sérios problemas, quase chegando a encerrar suas atividades, mas foi comprado por José Hidelbrando Soares Filho, que ainda continua como sendo o mantenedor da Estrela Guia.

O filho dele e que também faz parte do grupo, Wesley Genázo Soares, de 23 anos, disse que o grupo recebe inúmeros convites para apresentações em outros municípios, mas, pelo fato de não ter apoio da Prefeitura, não tem como se deslocar.

“Ninguém ajuda a gente com nada. Antes [no governo passado], ainda tínhamos o apoio com ônibus, agora nem isso. A gente que mantém tudo: farda (roupas) e deslocamento. Fico muito triste com isso, porque a Folia de Reis é uma tradição de família e que faz parte da cultura de Campos”, lamentou o jovem acrescentando que em outras cidades, como São Fidélis, por exemplo, a tradição continua, com eventos e festivais de Folia de Reis.

Wesley também contou que pelo fato de a Folia de Reis não estar mais incluída no calendário cultural de Campos, prejudica ainda mais o grupo, já que muitos desconhecem esse tipo de cultura e os que sabem a respeito, pensam que acabou.

“[A Folia de Reis] sempre foi uma tradição na cidade, mas tem gente que não conhece ou que pensam que não existe mais aqui. A gente vem se apresentando desde a véspera de Natal, dia 24 e amanhã (sábado), às 18h30, sairemos pelas ruas [nos parques Lebret, Jardim carioca e Santa Clara, todos em Guarus] e só retornaremos na manhã do dia seguinte. No dia 20 de janeiro também estaremos em São Fidélis”, informou o folião.

FOLIA DE REIS

De acordo com a historiadora Sylvia Paes, ninguém sabe quando começou a história da Folia de Reis em Campos, porque não se tem um levantamento histórico. “Como temos uma tradição portuguesa bem forte tivemos muitos grupos nos bairros, na região de Guarus e principalmente na Baixada Campista”, explicou a historiadora.

Segundo Paes, alguns fatores contribuíram para a diminuição e quase extinção da Folia de Reis na Planície Goitacá, dentre eles, o desinteresse dos mais jovens pela arte medieval.

“São vários fatores para a diminuição e, uma delas é o distanciamento na própria cidade. Como a Folia de Reis é composta por pessoas da mesma família e vizinhos, mudanças de endereço muitas vezes fizeram com que os membros perdessem o vínculo, enfraquecendo a tradição. Outra coisa é que próprio tráfico [de drogas] nos bairros acabam por não estimular a saída desses foliões, já que as pessoas não sabem quem está vestido e com máscaras de palhaço; outro fator é o desinteresse dos mais jovens em algumas regiões”, comentou.

A maior Folia de Reis do Estado do Rio de Janeiro está concentrada no município de Macuco, Região Serrana, já a da região Sudeste se encontra em Muqui (ES).

O Site Ururau entrou em contato com a Prefeitura de Campos, através da Superintendência de Comunicação Social (Supcom), para saber o porquê de o município não apoiar esse tipo de cultura, cuja resposta foi que "A administração municipal entende a importância desta manifestação cultural, que é um dos patrimônios do nosso município e uma tradição em toda a região. No ano passado, realizamos o 1° Encontro de Folia de Reis de Campos no Museu Histórico, que contou com a participação do grupo de Campos, Estrela Guia do Oriente, e do fidelense Estrela Dalva do Oriente. Infelizmente, o município atravessa uma grave crise financeira, que nos impede de investir mais. Mas a nossa expectativa é manter essa tradição viva, através de iniciativas como a do ano passado, que contribuem para valorizar a nossa folia de reis", explica a presidente da Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima, Cristina Lima

Reportagem: Redação


Fonte Ururau