10/10/2017 09:12:36 - Atualizado  em 10/10/2017 09:20:31

A+ A-

Rodoviários continuam parados em mais um dia de protesto

  Ururau

Paralisação sem previsão de término

Rodoviários de cinco empresas de ônibus de Campos decidiram manter a paralisação nesta terça-feira (10/10). O protesto é contra o atraso de salários. Em algumas empresas, rodoviários estão sem pagamento há quase três meses. Os rodoviários seguem previsão de normalizar o serviço de transporte público.

Os ônibus das empresas das empresas do Consórcio União (Turisguá, São Salvador e Siqueira), Consórcio Planície (São João) e Rogil não saíram das garagens e linhas como Penha, Goitacazes, Farol, Santa Rosa, Guarus, Tapera e Ururaí, por exemplo, seguem sem ônibus.

O Terminal Rodoviário Luiz Carlos Prestes amanheceu vazio. As pessoas que lá estavam aguardavam a vans para se deslocarem para o trabalho. Uma das pessoas era Maria de Fátima das Dores, 36 anos. “Se não tem ônibus, temos que andar nas vans. Tudo bem que os trabalhadores estão reivindicando o que é direito deles, mas a população não pode ficar desassistida”, revelou.

Segundo informa o Portal Transporte Coletivo de Campos dos Goytacazes (TCCG), os rodoviários teriam ficado mais revoltados com a notícia de que a prefeitura, através do Instituto Municipal de Trânsito e Transporte (IMTT), irá entrar na Justiça contra o movimento dos profissionais para que os mesmos fossem punidos pelos atos.

O portal informa, ainda, que nenhuma empresa sinalizou possíveis pagamentos e prefeitura não informou quando irá fazer o repasse referente ao mês de setembro.

Após a reunião nesta segunda-feira (09/10) com responsáveis pelos consórcios e do sindicato dos rodoviários, o Instituto Municipal de Transito e Transporte (IMTT) informou que "constatou a ilegalidade do movimento, já que não houve assembleia antecipada junto ao sindicato de classe, além da falta de comunicado antecipado sobre o movimento, junto ao órgão municipal. Para a reunião também foram convocadas possíveis lideranças do movimento, que se negaram a estar presentes. O IMTT informou que tomará medidas jurídicas para garantia do serviço à população. Desde o início do ano, já foram repassados cerca de R$ 22,6 milhões aos consórcios pela Prefeitura, correspondentes à passagem social - de janeiro a agosto. O município vem negociando repasse referente a setembro".

 

 


Fonte Redação / Portal TCCG