11/08/2017 08:54:12 - Atualizado  em 11/08/2017 08:57:38

A+ A-

Limpeza Pública mantida após pagamento de funcionários

  Arquivo

Funcionários da limpeza resolvem trabalhar

Após anunciar paralisação de 48 horas a partir desta sexta-feira (11/07), funcionários da Vital Engenharia Ambiental resolveram voltar atrás. A informação é do presidente do Sindicato de Asseio e Conservação, Ezequiel Santos da Silva. Segundo ele, ontem à noite a empresa havia anunciado que estava liberando os salários dos trabalhadores, mas o presidente preferiu confirmar.

“Hoje (sexta-feira, dia 11/08) pela manhã busquei informações junto aos funcionários que confirmaram o pagamento do mês de julho, faltando o vale alimentação, que ficou de ser pago no início da próxima semana”, disse Ezequiel, adiantando que o sindicato continuará em alerta por conta dos atrasos recorrentes.

Com relação às demissões, o presidente disse que este é um assunto que muito preocupa a categoria. “Se a empresa está tendo dificuldades de arcar com os salários, imagine com as rescisões trabalhistas. Hoje são cerca de 250 trabalhadores cumprindo aviso prévio e mais 50 poderão ser demitidos. Todos que trabalham na Vital hoje estão sob pressão”, comentou.

De acordo com Ezequiel, a empresa continua alegando que a prefeitura continua em atraso com o pagamento do convênio. “O ideal é que o poder público se preocupasse mais com a limpeza pública para que a nossa cidade volte a ficar mais limpa como antes, quando Campos tinha várias equipes de capina e varrição em vários bairros efetuando o serviço de limpeza”, ressaltou.

Em nota, a prefeitura informou que foi iniciada uma nova negociação com a concessionária Vital Engenharia Ambiental, responsável pelo serviço de coleta e limpeza do município, visando reduzir despesas, sem alterar na qualidade do serviço oferecido à população. O planejamento está sendo realizado de modo que todo o sistema seja otimizado, incluindo coleta e varrição, atendendo à demanda de acordo com o número de habitantes de cada bairro. Esta redução pode girar em torno de 20% a 30%. O município tem buscado manter todas as contas em dia e, desta forma, são necessárias estas readequações.

 

Reportagem: Ururau


Fonte Redação