13/04/2016 19:36:00 - Atualizado  em 14/04/2016 15:47:07

A+ A-

Esposa de guarda municipal morta no estacionamento em tentativa de assalto na base da GCM

  Laila Nunes

Vítima chegou a ser levada para o HFM, mas não resistiu e morreu minutos após dar entrada na unidade médica

A esposa de um guarda civil de Campos morreu após ser baleada durante uma suposta tentativa de assalto na noite desta quarta-feira (13/04), por volta das 18h50, no Parque Boa Vista, em Guarus. A analista judiciária Patrícia Manhães Gonçalves Mattos, de 41 anos, aguardava o marido dentro do carro, um Chevrolet Spin preto, no estacionamento da base da GCM, onde funcionou a antiga Central de Abastecimento do Estado do Rio de Janeiro (Ceasa), quando teria sido abordada pelo suspeito. Ela chegou a ser levada para o Hospital Ferreira Machado (HFM), mas não resistiu e morreu minutos após dar entrada na unidade médica.

Segundo o comandante da GCM, Marcos Soares, o marido da vítima estava de folga. O guarda entrou enquanto a esposa o esperava do lado de fora. Pouco tempo depois, o marido e outros colegas de trabalho teriam escutado barulho semelhante a tiros e correram para ver o que era, encontrando Patrícia baleada no interior do veículo.

“Eles (marido e outros guardas) não viram ninguém e acreditam que tenha sido uma tentativa de assalto”, mencionou o comandante.

Com dois tiros na cabeça e um no pescoço, Patrícia foi levada pelo próprio marido para o HFM, mas morreu durante o atendimento.

A Polícia Militar fez buscas na área e bairros próximos na tentativa de encontrar o atirador, mas o mesmo não foi localizado.

MARIDO FOI COMBINAR PESCARIA
Segundo o registro da Polícia Militar, o marido de Patrícia, o GCM Uenderson Mattos, foi ao local combinar uma pescaria com o primo, que também é guarda. A polícia conseguiu encontrar uma testemunha, um homem que estava vigiando um animal num pasto próximo, ele contou que viu dois homens se aproximarem do carro a pé, e quando ouviu os disparou se jogou no chão. Ele não conseguiu observar as características físicas dos suspeitos.

Uenderson contou a polícia que os R$ 1.500 que estavam no carro desapareceram. O corpo da vítima foi removido para o Posto Regional de Polícia Técnica-Científica (PRPTC). O homicídio está sendo investigado pela 146ª Delegacia Legal, em Guarus.


Fonte Ururau