08/12/2016 16:04:44 - Atualizado  em 08/12/2016 16:27:14

A+ A-

Projeto sobre o Uber entra em pauta na próxima semana

  Divulgação Ascom

Representantes do Uber não compareceram na audiência pública

Durante audiência pública para debater o uso de carros particulares cadastrados em aplicativos para o transporte de pessoas no município de Campos, através de aplicativos como Uber, realizada nesta quinta-feira (08/12) na Câmara de Vereadores, o presidente do Legislativo, Edson Batista, afirmou que o projeto de lei que proíbe este serviço, de autoria do vereador José Carlos Monteiro, será colocado na pauta da próxima semana. O Uber começou a operar no município às 14h da última sexta-feira (02/12).

O primeiro inscrito a falar foi o representante da Associação dos Taxistas de Campos, Eduardo Augusto da Costa. “Estamos muito preocupados que este aplicativo se estabilize em Campos. Estamos vivendo uma crise financeira e este aplicativo fazendo nosso serviço, só vai atrapalhar a nossa classe. Tudo que é controverso e não é legalizado não pode continuar. Nós viemos pedir aos vereadores aqui hoje que aprovem essa lei. Somos trabalhadores que pagamos nossos impostos e seguimos as regras da prefeitura”.
 
Wagner Gomes de Azevedo, membro da Comissão de Taxistas, enfatizou o trabalho aos vereadores. “Agradeço a esta casa por nos dar a oportunidade de debater um assunto como este. Esse aplicativo veio de fora, eles não têm sequer alvará de funcionamento, chegaram aqui e colocaram pra funcionar sem sequer informar as autoridades locais. Isso não é só inerente ao táxi, pode acontecer com qualquer profissão. Nós queremos pedir a manutenção do nosso direito previsto na constituição”, disse.

O arquiteto Renato César Arêas Siqueira, diretor geral do Observatório Social de Campos lembrou o plano de mobilidade urbana. “Deixo antecipadamente o apelo para que possamos discutir o plano local de mobilidade urbana. Esse aplicativo cria uma ilusão de renda fácil, sem patrão, onde a pessoa faz o horário dela, isso tem levado motoristas a trabalhar 24 horas por dia. Essas plataformas entram aportadas pelo capital internacional com o intuito de quebrar o serviço existente, com uma concorrência desleal”.

Marcelo Vivório Alves, presidente do Sindicato dos Condutores Autônomos de Veículos Rodoviários de Campos, pediu o apoio dos vereadores. “O Uber nós temos que entender que é apenas uma empresa que é dona de um aplicativo e nós trabalhamos dentro da lei. Esses veículos que se inscrevem devem ser encarados como irregular, devem ser recolhidos e multados. Peço a aprovação desta lei contra o Uber aos nossos vereadores, pois Campos precisa fazer a sua parte”, disse.

O presidente da Câmara destacou a presença dos membros da Comissão de Transportes e Trânsito da Câmara. “Quero destacar a presença do presidente da Comissão, vereador José Carlos e do vereador Genásio, que também faz parte”. Ainda de acordo com o presidente da Câmara, o projeto do vereador José Carlos será colocado na pauta na próxima semana.

Autor do projeto de lei que dispõe sobre a proibição do uso de carros particulares cadastrados em aplicativos para o transporte remunerado de pessoas no município de Campos, José Carlos questionou a ausência de representantes do Uber.

“Nenhum deles veio até esta audiência para prestar esclarecimentos. Eles não têm uma sede, portanto não sabemos como encontrar um motorista deles caso haja um acidente. Agradeço ao doutor Edson por abrir essa oportunidade para debatermos este tema e por podermos entrar com um projeto para barrar este aplicativo. Um projeto que não é só meu, mas de todos os colegas aqui na Câmara”, concluiu José Carlos.


Fonte Rdação/Ascom