05/12/2017 18:38:27 - Atualizado  em 05/12/2017 18:48:51

A+ A-

ACIC repudia o reajuste do IPTU concedido pela prefeitura de Campos

  Divulgação

A Prefeitura explica que a correção do IPTU para 2018 será de 19% e a expectativa é aumentar a arrecadação para R$ 55 milhões

Por meio de nota divulgada à imprensa no início da noite desta terça-feira (05/12), o presidente da Associação Comercial e Industrial de Campos- ACic, José Luiz Lobo Escocard,  destaca que o reajuste do Imposto Predial Territorial Urbano – IPTU é um absurdo, considerando a situação econômica, que não só afeta os órgãos públicos, mas a  população campista  também. “Até fomos convidados para discutirmos o assunto, mas as nossas reivindicações não foram atendidas” ressaltou o presidente. 

"A nossa preocupação é promover o desenvolvimento econômico, e não aprovar o aumento da carga tributária das empresas, que precisam continuar gerando emprego. O dinheiro não esta circulando em Campos, o desemprego cresceu só neste ano de 2017 foram mais de  3 mil desempregos, sem contar que o Governo do Estado não vem pagando com regularidade os salários dos servidores. Assim como a própria Prefeitura de Campos está encontrando dificuldades para manter as contas em dia, inclusive dos próprios serviços que recebem por RPA. Até compreendemos que a Administração Municipal, precisa aumentar o fluxo de arrecadação e que até existe imóveis com o valor do IPTU desatualizado. Mas, o momento é de cautela para todos. Não se pode corrigir os tributos, se não existe perspectiva de correção para os trabalhadores", comentou José Luiz.

 A Prefeitura explica que a correção do IPTU para 2018 será de 19% e a expectativa é aumentar a arrecadação para R$ 55 milhões. Pela tabela elaborada pela Administração  Municipal, a primeira zona fiscal tem oito bairros sendo que ao Centro foi atribuído o valor de R$2,12, ao Parque Maria Queiroz R$ 3,04 e o maior valor será de R$ 4,26 para o Parque Avenida Pelinca. O menor valor fiscal será aplicado na Vila Maracanã, em Guarus. A Prefeitura destaca que 63% das localidades foram preservadas, entre eles o Parque Cidade de Luz, Travessão, Baixa Grande, Santa Rosa e Parque Eldorado, entre outros. A Prefeitura destaca ainda que o limite para concessão da isenção foi ampliado de R$ 10 mil para R$ 36 mil, o valor venal do imóvel.


Fonte Ascom